Este Mundo é meu


Garotos do Morro do Papagaio fotografam moradores da comunidade e participam de mostra na Biblioteca Pública Estadual.

Mariane Ribeiro/divulgação

Garoto retratado pela jovem fotógrafa Mariane Ribeiro
Preste atenção nesta exposição: Meu morro é assim, em cartaz na Biblioteca Pública Estadual. Traz retratos de moradores do Morro do Papagaio, em Belo Horizonte, e a crônica do cotidiano local feitos por adolescentes de 13 a 16 anos, alunos de oficinas do projeto Olhar coletivo.

“As imagens vieram de jovens talentos, gente que pretende fazer fotografia, tem olhar apurado e fotografa com o coração”, avisa Jorge Quintão, um dos coordenadores do projeto. São eles: .

As fotos surgiram de oficina voltada para o diálogo entre literatura e fotografia, ministrada na Biblioteca Pública Estadual, que pôs vários livros à disposição do Olhar coletivo. O escolhido foi Morro do Papagaio, da jornalista Márcia Cruz, moradora do Aglomerado Santa Lúcia. “A exposição é uma homenagem a ela”, informa Jorge.

A escolha veio do fato de o livro abordar o cotidiano local com riqueza de detalhes. Jorge conta que isso incentivou a garotada a valorizar o local onde mora. O resultado foram fotos muito bonitas, sem estereótipos, expressivas em todos os aspectos. “Em preto e branco, elas ganharam muita poesia”, garante o coordenador da oficina.

O projeto surgiu em 2009, quando a professora de arte Aline Guerra descobriu câmaras guardadas na escola em que trabalhava. Pediu à diretora para usá-las e chamou Jorge, seu marido, para as oficinas com os jovens.

Cristiano Nascimento/divulgação

Cristiano Nascimento explorou o céu do Morro do Papagaio

“Foi desafiador. Aos poucos, os resultados foram aparecendo, pois os meninos têm predisposição para mexer em equipamentos que lhes despertam a curiosidade”, conta. Ano passado, um grupo pediu para se aprimorar e foi atendido: ganhou aulas especiais aos sábados.

“O mais saboroso são as descobertas que a fotografia proporciona. Nós, que ministramos as oficinas, vemos talentos surgirem, os alunos fazendo fotografia e se descobrindo. Há também a descoberta do local e das pessoas de onde eles moram. Aliado à autoestima, isso acaba transformando todo o contexto”, conta Jorge Quintão. A turma tem outros trabalhos e já foi convidada para nova mostra. Entre os projetos estão um documentário, em foto e vídeo, sobre o Morro do Papagaio.

No Guri
Integrantes do projeto Olhar coletivo começam a ganhar prêmios. Em 2009 e 2010 foram vencedores do concurso de fotografia do caderno Guri, do Estado de Minas. Este ano, conquistaram o segundo e o terceiro lugares no evento. Quem quiser conhecer o projeto, os trabalhos ou doar câmaras para os participantes pode acessar o site http://www.olharcoletivo.org.

MEU MORRO É ASSIM
Fotos de alunos do projeto Olhar coletivo. Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães. Biblioteca Pública Estadual, Praça da Liberdade, 21, Funcionários, (31) 3269-1202. De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados, das 8h às 13h. Não abrirá amanhã. Em cartaz até 30 de janeiro. Entrada franca.
Fonte:Walter Sebastião – EM Cultura

Galeria de Fotos:


####################################################

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: