Fofoca provoca até pedido de demissão


Uma conversinha aqui, um burburinho ali e, quando menos se espera, a informação — verdadeira ou não — já correu pela empresa inteira. A fofoca no ambiente de trabalho é quase inevitável e produz insegurança e queda de produtividade.

Foi o que aconteceu com a economista Janete Lopes, 40, que soube pelos corredores que poderia ser transferida de cidade. “Não se falava em outra coisa no meu departamento a não ser que eu seria transferida para o interior de São Paulo”, afirma.

Com receio de que isso pudesse acontecer, a economista deixou de se concentrar nas tarefas do dia a dia — o resultado foi queda na produção. Até que o gestor a chamou para uma conversa. “Estava muito nervosa e contei a ele o que soube”, explica. Tudo não havia passado de fofoca.

Às vezes, como o que ocorreu com a advogada Gil Souza Santos, 31, a situação fica insustentável.

Depois de duas promoções em menos de um ano em um escritório de advocacia, as conversas pelo corredor começaram. ” Ninguém consegue subir tão alto assim; provavelmente ela está tendo um caso com o chefe”, conta Gil sobre os comentários que ficou sabendo por uma colega.

“Sofri muito porque nunca tive envolvimento com ninguém na empresa e, por causa das histórias, comecei a me sentir tão mal no trabalho que pedi demissão”, lamenta a advogada, que hoje ocupada em cargo alto em outro escritório e nem por isso aconteceram fofocas.

IRRITAÇÃO
Segundo pesquisa do LinkedIn, 83% dos profissionais brasileiros cadastrados na rede apontaram a fofoca como o comportamento mais irritante no ambiente de trabalho. Ao redor do mundo, 62% afirmaram se incomodar com este tipo de problema.

Para o vice-presidente do Grupo Foco, Adriano Araújo, em alguns casos, a fofoca é utilizada para manipular relações. “Normalmente, pessoas com esse tipo de hábito têm a necessidade de se sentirem aceitas pelo grupo e a forma encontrada é dividindo informações que talvez o outro não tenha”, sinaliza Araújo.

A professora de carreira da Fundação Getulio Vargas-SP Cecília Arruda afirma que a fofoca é um dos principais problemas de clima organizacional de uma empresa. “Alimentá-la significa reduzir a importância de alguém que enxergamos bem, e isso muitas vezes é motivado por inveja, ciúmes e fraqueza moral”, explica Cecília.

Empresas com cultura de fofoca têm dificuldades em manter profissionais em seu quadro. “As instituições com este tipo de problema não conseguem reter grandes talentos por muito tempo porque, normalmente, essas pessoas são mais éticas e maduras”, diz a diretora-executiva da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Izabel de Almeida.

COMO EVITAR A FOFOCA
* Ouça mais e fale menos
* Evite emitir opiniões e tente mudar de assunto
* Busque, de uma forma sutil, passar sua opinião sobre este tipo de comportamento
* Converse com a pessoa que iniciou os comentários quando a fofoca for sobre você
* Leve o problema para os responsáveis da área de recursos humanos

Por: KÁTIA KAZEDANI
Fontes: entrevistados
################################################################################################

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: