Até 31 de Dezembro o Duelo Continua


Apresentação semanal de MCs, dançarinos e DJs na região do Viaduto de Santa Tereza se firma como evento cultural e de ocupação artística do Centro. PM quer mudança de local
*Ana Clara Brant
Todas as sextas-feiras, aproximadamente 500 a 600 pessoas se aglomeram debaixo do Viaduto de Santa Tereza para acompanhar umas das manifestações culturais de rua mais famosas da cidade: o Duelo de Mcs ou mestres de cerimônias, que reúne os principais nomes do hip-hop de Belo Horizonte. Quando surgiu há quatro anos, o evento não tinha a dimensão que hoje tem e, por ter crescido tanto, começa a provocar polêmicas e preocupações. “No fim de junho, fomos procurados pela Administração Regional Centro-Sul e pela Polícia Militar para que fossem tomadas várias providências. A PM alega que o local não comporta mais este tipo de evento, que é um espaço muito difícil de trabalhar e por isso defende que o duelo não pode mais ser realizado ali. Mas nenhum estudo nesse sentido foi apresentado pra gente e como temos um alvará que nos permite promover esse projeto até 31 de dezembro deste ano, vamos permanecer no viaduto”, explica Pedro Valentim, o PDR, um dos integrantes e fundadores do Coletivo Família de Rua, organizador do Duelo de MCs.

De acordo com o primeiro-tenente Bruno Bidart, da 6ª Cia do Primeiro Batalhão da Polícia Militar, responsável pela região do hipercentro da capital, realmente, algumas medidas vêm sendo exigidas por parte dos realizadores do evento, como a instalação de banheiros químicos e de grades de proteção. O policial reitera a tese de que como o projeto cresceu demais ao longo dos anos, o espaço não comporta mais aquele tipo de manifestação. E que a PM vem negociando com a prefeitura e com os integrantes do Coletivo Família de Rua para que melhor solução seja tomada. “Não somos contra qualquer evento cultural, muito pelo contrário. A Polícia Militar só está preocupada com a segurança das pessoas que estão naquele local. Ele por si só é um espaço público. Embaixo de viadutos é natural que apareçam pessoas que não têm nada a ver com o evento e podem provocar algum tipo de confusão. Por medida de segurança, a gente gostaria de sugerir um outro espaço, porque realmente é muita gente que se aglomera ali”, defende.

Policiamento Para Pedro Valentim, o viaduto é um ambiente natural para manifestações de rua como o Duelo de MCs e que eles solicitaram um policiamento mais ostensivo por parte da Polícia Militar. “A cultura hip-hop está ocupando o espaço público e isso é extremamente legítimo. O lugar tem tudo a ver com a proposta do projeto. O que a gente quer é ter uma viatura a noite inteira, o que nem sempre ocorre. Tivemos poucas ocorrências ali durante o evento”, frisa Pedro.

Kdu dos Anjos, um dos MCs que costumam participar da iniciativa, acredita que a segurança no local é falha, pois dependem da colaboração e compreensão do público. E por ser um evento de rua, é natural que recebam todo tipo de gente. “Geralmente, é fácil identificar quem não tem o perfil do evento e vai para o Viaduto de Santa Tereza com outros fins. Toda a população, inclusive a Polícia Militar, identifica esses elementos. Quando alguma providência é tomada por parte da PM, sempre é de forma grosseira e difamadora”, lamenta. Kdu acrescenta que em algumas edições, a PM disponibiliza um carro com alguns militares atrás do palco e fica evidente a redução do consumo de drogas e de pessoas que não vão ao duelo para prestigiar a música. “Meus pais gostam de ir, assim como outros cidadãos, que levam suas crianças e amigos. Acredito que com o policiamento frequente, certamente o evento seria bem melhor”, opina.

O primeiro-tenente Bidart assegura que o policamento está sempre presente no viaduto e reitera que, em breve, representantes da PM vão se reunir com os organizadores para resolverem o caso. “Friso que a nossa sugestão é mudar o local, mas ainda está em estudo. Vamos resolver da melhor maneira possível para que ninguém saia prejudicado”, propõe.

Saiba mais

Hip-hop rua

Umas das manifestações culturais mais genuínas surgidas em Belo Horizonte nos últimos anos, desde 2007, o Duelo de MCs ocupa semanalmente o Viaduto de Santa Tereza com manifestações artísticas do hip-hop. A cada noite de sexta-feira, cerca de 700 pessoas dirigem-se ao viaduto na intenção de apreciar as habilidades de mestres de cerimônias (MCs), B.boys e B.grils (dançarinos), grafiteiros e DJs. Tudo é realizado na rua, num espaço antes degradado e esquecido, que nos últimos quatro anos tem sido revitalizado a partir da ocupação e do trabalho desenvolvido pelo Duelo de MCs. Ao longo desses quatro anos já foram realizados 200 duelos.

Fique ligado

Sexta-feira – Noite especial de danças. Batalha com diferentes estilos das danças urbanas e participação de alguns MCs.

Dia 7/10 – Duelo tradicional. Pocket show: MC Dodozin. Roda livre de danças urbanas

Dia 14/10 – Duelo do conhecimento. Batalhas de rimas temáticas. Pocket show: Arezona. Roda livre de danças urbanas

Dia 21/10 – Duelo batevolta. Pocket show: Codinome Favela. Roda livre de danças urbanas
* Ana Clara Brant-Jornalista EM
Veja o Vídeo – Radical Tee, no Duelo de MCs

Veja Galeria de Fotos


================================================================================================

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: