Gravidez na Adolescencia ou Gravidez Precoce


Uma entre cada quatro mulheres que são mães, tem menos de 20 anos de idade.

A gravidez precoce ou a gravidez na adolescência , mais do que um problema para a mãe adolescente e a família, é um problema de saúde pública. Estima-se que no Brasil, uma entre cada quatro mulheres que são mães, tem menos de 20 anos de idade. Essas jovens raramente  estão preparadas fisicamente e muito menos psicologicamente para serem mães.
Hoje em dia não é raro vermos adolescentes com 13 ou 14 anos a espera do seu primeiro filho. Além de essas jovens serem mães muito cedo, elas perdem parte da infância e precisam amadurecer muito cedo. A parte da fantasia e do faz de conta de se brincar com bonecas desaparece na hora do parto e dá lugar ao medo, angústia, solidão e rejeição.
A adolescente precisa ser apoiada pela família e pelo futuro pai da criança. Depois de confirmada a gravidez, não adianta a adolescente se revoltar,e muito menos os pais se revoltarem.Nestes casos não vale a pena chorar pelo ‘leite derramado’.
O apoio e a conversa é a melhor coisa a ser feita neste momento, já que provavelmente antes da gravidez o diálogo entre filha e pais não deve ter existido. A jovem vai sofrer sérias transformações no corpo e precisa de apoio para poder lidar com isso. Mas deixe claro que apoio não significa transferência de problema; ela é a mãe e a responsabilidade maior é dela.
Ou seja, é a adolescente quem tem de cuidar da criança,  bem como tornar-se responsável pelo sustento financeiro dela. O ideal é que seja feito em comum acordo com o pai da criança caso o mesmo assuma a paternidade. Em alguns casos a familia da adolescente pode entrar com uma ação judicial para que o pai da criança assuma a sua parte na criação do bebê.
Os riscos para a saúde da adolescente de uma gravidez precoce também são altos, já que o corpo da menina não está pronto para receber a criança. Por vezes a jovem escolhe esconde  a gravidez até o último estágio e acaba  não fazendo os exames pré-natais e colocando em risco a vida dela e a do feto. Ela escolhe esse caminho por medo do que pode acontecer se ela contar a verdade.
São exatamente por esses fatores que a gravidez precoce deve ser encarada como um problema de saúde pública e não apenas familiar. É por isso mesmo que toda a sociedade, incluindo a escola deve se preocupar e orientar os jovens na prevenção de uma gravidez precoce.
Por vezes essa gravidez precoce acontece pela falta da famosa conversa com os jovens; muitos pais têm vergonha ou acham desnecessário conversar com os jovens e acham que esse papel é da escola. É por isso que os jovens começam muito cedo a vida sexual e de forma errada, sem estarem preparados para as conseqüências dos seus atos.
 Um filho precoce só vai atrapalhar os planos dos jovens. Por vezes eles abandonam os estudos ou adiam os sonhos que acabam nunca se concretizando já que eles têm uma responsabilidade muito maior para lidar nessa fase de planejamento de sonhos.
Isso pode fazer com que o adolescente cresça e seja um adulto frustrado com a sua vida, sentindo que poderia ter feito muito mais, realizado os sonhos se não fosse a gravidez precoce.Não estamos falando só da menina, incluimos  também neste tema os meninos que por vezes terão de assumir a responsabilidade de uma família em plena adolescência.
É por isso que o cuidado, a conversa e o senso de responsabilidade devem estar sempre presentes. Melhor se precaver antes de engravidar, há muitos métodos anticoncepcionais eficientes desde que usados corretamente e com responsabilidade.
Com certeza há exemplos de outros blogs e sites que abordaram este mesmo tema , muitas adolescentes virão aqui dizer que sentem-se discriminadas e que todos ‘atiram pedras’ em vez de ajudar; mas estas mesmas adolescentes infelizmente se esquecem que só elas podem ser responsáveis pelo seu corpo e pelos próprios atos.
Felizmente muitas têm um final muito feliz, têm seus filhos, por vezes até se casam ou os pais ajudam na árdua tarefa de criar um filho sozinha; mas uma grande parcela se vê sozinha e com um bebê nos braços para criar.Não pense que isso ocorre só em classes menos favorecidas, adolescentes de classe média e alta também engravidam; por isso a informação e o diálogo é essencial para que os adolescentes sejam esclarecidos quanto aos riscos de uma  gravidez precoce.

Por isso pense nisso, não custa nada se prevenir.

==========================================================================

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: