Jovens levam arte aos becos de BH




Amanda Almeida – Estado de Minas


Uma bela inspiração para o grafite: as telas modernistas de Guignard (1896-1962). Na oitava edição do projeto Arte Favela nos Becos, oficinas de arte tiveram como foco a vida e a obra do pintor brasileiro. Trinta jovens de cinco comunidades diferentes de Belo Horizonte foram convidados a tornar-se artistas e, mais do que isso, multiplicar a cultura em suas vilas. “A ideia é formá-los, para que possam levar aos próprios guetos o que aprenderam. O resultado é emocionante. Eles se identificaram muito com o movimento modernista, porque há uma causa social“, diz o coordenador do projeto, Hely Costa Aguiar. Ontem, as 30 telas grafitadas foram expostas no Beco Chafariz, na Vila Marçola, Região Centro-Sul da capital. A mostra circula em vilas de BH até o fim do mês

O projeto é beneficiado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Nasceu em 2003, no Bairro Goiânia, na Região Nordeste. “Fazia caricaturas dos jovens nas ruas. Eles se interessaram e começaram a me procurar para aprender. Então, o movimento cresceu e decidi formalizar o projeto”, conta Hely. Hoje, Vila Marçola, Cabana Pai Tomaz, Morro das Pedras e Barragem Santa Lúcia também participam do Arte Favela nos Becos. “É muito interessante, porque os jovens só viram a tela de cada comunidade agora. Mesmo trabalhando separados, todos conseguiram fazer a ligação com a obra de Guignard”, relata o coordenador.

Os jovens artistas têm entre 14 e 29 anos e foram escolhidos pela atuação em suas comunidades. “São jovens que já têm um engajamento em causas sociais. O principal objetivo do projeto é que esses jovens levem a arte para seus bairros. Já nas exposições, percebemos que os moradores se envolvem com as telas, porque foram feitas dentro da própria comunidade”, afirma Hely. As oficinas foram de desenho animado, rap com poesia, artes plásticas e grafite.

Reconhecimento

Ao som contagiante do hip-hop, os jovens da Vila Marçola, no Aglomerado da Serra, apresentavam orgulhosos as telas feitas em spray, tinta acrílica e caneta fosca. “Gostei da ideia de ver meu trabalho exposto aqui. Acho mais legal mostrar a nossa arte no meio de um beco do que em uma galeria de arte no Centro da cidade. As pessoas da favela precisam desse contato com a cultura e o reconhecimento dos amigos também é muito importante para nós”, diz Adenílson Rezende de Oliveira, de 17 anos, autor da tela Faces de Guignard.

A jovem Keila Ferreira, de 16, usou todo seu talento para preencher as telas com flores. “Elas sempre foram inspiração para o trabalho de Guignard, por isso, quis reproduzi-las nos meus quadros. Estudar a vida e a obra do pintor foi fascinante e aumentou ainda mais minha vontade de fazer artes plásticas. Vou batalhar pelo meu lugar na universidade e para ser uma artista reconhecida”, planeja Keila.

Serviço

Roteiro itinerante

Hoje
Beco Epaminondas – Cabana do Pai Tomaz
Horário: 14h
Show: Grupo de Percussão Cabana

Dia 21
Beco Santa Inês – Barragem Santa Lúcia
Horário: 14h
Show: B. Boys – Fica Vivo (dança de rua)

Dia 28
Beco Principal, esquina com o Beco Nossa Senhora de Lourdes – Morro das Pedras
Horário: 14h
Show: Grupo Cultural Arautos do Gueto (percussão)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: